Insultado por ser pai

O vereador Roberto Rocha Júnior (PSB) publicou um emocionante  e contundente texto no seu perfil da rede social do Facebook em que lamenta o que considera um insulto por pai. Isso mesmo, por ser pai!
O parlamentar se refere à postagem de um blog da cidade que tentou ridicularizá-lo tão somente por estar na companhia do seu filho, na Praça Pedro II, divertindo-se com o jogo Pokémons GO.
Ora, qual o pai que não se rende a um pedido dos filhos para procurar os tais Pokémons? Este blogueiro mesmo passou parte do último domingo na Avenida Litorânea e na Península da Ponta D’Areia acompanhando as crias na busca do tais “Poke Stops” e dos “Ginásios”.
Como bem diz Roberto Júnior em um trecho do seu texto: “Quero ressaltar que antes de ser político, eu sou PAI, e, como tal, não meço esforços para fazer os meus dois filhos felizes e realizados, visto que a felicidade deles é também a minha”.
Enfim, precisa ser muito insensível para insultar um pai simplesmente por estar brincando com o seu filho.
E insultar em plena semana dos pais!
Um pedido desculpas seria o mínimo que o blogueiro deveria fazer.
Fiquem com a íntegra do texto de Roberto Rocha Júnior:
INSULTADO POR SER PAI
Anteontem,10, como sempre costumo fazer depois do meu expediente de trabalho, dediquei um tempo para meu filho. Fui juntamente com a minha esposa levar o nosso filho de seis anos para se divertir um pouco na Praça D. Pedro II para jogar Pokémons GO, um entretenimento que o tem deixado muito feliz desde que foi lançado no Brasil há pouco mais de uma semana.
Por essa razão, fui alvo de críticas feitas pelo blogueiro Leandro Miranda/ Marrapá, conhecido na cidade por seu sensacionalismo, e que, numa clara demonstração de querer denegrir a minha imagem, por entender que eu estava ” caçando Pokémons”, teceu comentários pejorativos a meu respeito, como se o jogo fosse ilegal e as pessoas que o praticam fossem transgressoras e não merecessem o respeito da sociedade.
Quero ressaltar que antes de ser político, eu sou PAI, e, como tal, não meço esforços para fazer os meus dois filhos felizes e realizados, visto que a felicidade deles é também a minha.
Portanto, ao nobre blogueiro (que com certeza não deve ainda ter tido o privilégio de ser pai), só quero dizer que em hipótese nenhuma eu estava me escondendo, pois se essa fosse a minha intenção, eu não teria ido a uma praça pública, atitude que continuarei tendo enquanto essa for a vontade do meu filho. Jogo Pokemon Go com meu filho, jogo vídeo game com ele, ando de bicicleta, jogo futebol e o que mais o fizer feliz, pois a minha felicidade será sempre consequência da dele.
Dessa forma, sem culpa nenhuma atribuída, afirmo que uma das vantagens do Pokémon -Go é a de que a ida das pessoas às ruas resulta em encontros com novos e velhos conhecidos, bem como com a aquisição de novas amizades também. E isso era algo que não estava mais ocorrendo, considerando que as novas tecnologias contemplava cada vez mais o isolamento e falta de convívio social.
Portanto, fica aqui meu respeito e um conselho a todos os jogadores de Pokemon Go ou de qualquer outro jogo eletrônico independente da idade de quem joga: não se importe com o que os outros pensam; se jogar o faz feliz e realizado, jogue! Você não está cometendo nenhum ato ilícito ou prejudicando o próximo. Patetice é você ser julgado por ser feliz ou por fazer feliz quem você ama. Sejam felizes!

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>