Meta é diminuir imposto, mas agora pode ser preciso aumentar, diz Meirelles

O ministro da Fazenda do governo Michel Temer, Henrique Meirelles, disse, em seu primeiro pronunciamento e entrevista coletiva no cargo, que a meta do governo é diminuir impostos, mas agora pode ser preciso criar mais um.
Ele respondeu a uma questão de um jornalista sobre a proposta de retomar a CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira), mesma medida que o governo Dilma cogitou aplicar, e pela qual foi muito criticado.
“O Brasil tem muitos impostos. A meta é diminuir o nível de tributação da sociedade. Dito isso, a prioridade hoje é diminuir a dívida pública. Se houver necessidade de um tributo, ele será aplicado, mas temporário”, afirmou Meirelles.
Ele voltou a reconhecer que o brasileiro paga muitos impostos, mas que a necessidade agora é outra. “Sabemos que a tributação é elevada, uma das maiores entre os países emergentes. A meta é a diminuição do nível tributário. No entanto, a prioridade é a dívida pública e seu crescimento a níveis sustentáveis. Um novo imposto será temporário. Se for necessário”, declarou nesta sexta-feira (13). 
O novo ministro não quis detalhar nenhuma medida concreta. Ele afirmou que só quer divulgar atos quando tiver certeza de que serão viáveis e tiveram chance de aprovação no Congresso.
Fonte: Do UOL, em São Paulo

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>