Programas da Prefeitura combatem de forma efetiva a insegurança alimentar em São Luís

Programas da Prefeitura combatem de forma efetiva a insegurança alimentar em São Luís

“Para quem não tem, esta cesta de alimentos é tudo. E é tudo fresquinho, natural”, disse a dona de casa Raimunda Teixeira, 54 anos, durante mais uma entrega do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), no bairro do Maracanã. A ação é um importante apoio às pessoas carentes e em situação de insegurança alimentar. Para José Raimundo, 38 anos, a iniciativa da Prefeitura representa um grande apoio para as pessoas mais carentes. “Com esse programa, o prefeito Edivaldo mostra que tem compromisso com quem mais necessita”.

Já o aposentado Antônio Fernando Santos Bezerra, 71 anos, enfatizou que os alimentos “chegaram na hora certa”. Ele diz que o programa é de grande ajuda para quem é menos favorecido e que mais pessoas devem ser incluídas. “Tem muita gente que precisa e todos agradecem esse alimento”, disse.

Os programas sociais na área da Segurança Alimentar, desenvolvidos pela Prefeitura de São Luís, têm garantido alimentação saudável a quem precisa, estimulado a produção na zona rural e contribuído para diminuir os índices de insegurança alimentar. O Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), Programa Peixe Solidário e do feijão estão na lista das principais iniciativas em curso, que promovem o acesso ao alimento. Juntas, as ações já garantiram, ano passado, a distribuição de mais de 820 toneladas de alimentos a milhares de pessoas na capital.

“Desde a nossa primeira gestão, implantamos diversas iniciativas na área de segurança alimentar em São Luís. Algumas, como é o caso do PAA, foram desenvolvidas pela primeira vez em nosso município. É motivo de grande alegria poder desenvolver estes programas que garantem alimentação saudável e de qualidade para pessoas em situação de vulnerabilidade social, devolvendo dignidade para a população da nossa cidade”, disse o prefeito Edivaldo.

Promover o acesso ao alimento é um compromisso da gestão do prefeito Edivaldo, desde seu primeiro mandato e nesta segunda gestão, os programas foram ampliados. Com isso, está garantido o complemento alimentar às famílias em vulnerabilidade social atendidas pelos Centros de Referência e Assistência Social (Cras) e Centros Especializados de Referência e Assistência Social (Creas).

“O prefeito Edivaldo tem trabalhado diuturnamente e reunido todos os esforços com suas equipes para que essas ações prossigam, sejam cada vez mais ampliadas e continuem tornando acessível o alimento às pessoas em vulnerabilidade alimentar”, enfatizou a secretária municipal de Segurança Alimentar (Semsa), Fatima Ribeiro. O estímulo a uma alimentação mais nutritiva e a adoção de hábitos alimentares mais saudáveis são apontados pela gestora como alguns dos mais importantes benefícios desse conjunto de programas sociais.

Quando o prefeito Edvaldo assumiu, São Luís ostentava índices altos de famílias em situação de vulnerabilidade social, segundo levantamento executado pela equipe da Semsa e que consta no Plano Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional (Plamsan). “A execução destes programas ajudou a combater a fome, contribuindo para uma queda significativa destes índices. Para esse ano, seguiremos com as ações, atendendo quem necessita”, enfatiza o superintendente de Ações Comunitárias da Semsa, Augusto César Rodrigues Freire.

PROGRAMA

Desde sua criação, em maio de 2015, até novembro do ano passado, quando foi executada a primeira etapa do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), foram distribuídos mais de 377 toneladas de produtos hortifrutigranjeiros. Na segunda etapa, que iniciou em fevereiro, já foram distribuídos 37 toneladas quilos de alimentos, de fevereiro até este mês. Os produtos que constam na cesta são originados da agricultura familiar como frutas, verduras, legumes, num total de 39 itens. São produtos hortifrútis da agricultura familiar das regiões de Matinha, Cinturão Verde e Tajipuru.

Em São Luís, o PAA é executado na modalidade Doação Simultânea, onde a Prefeitura adquire os produtos diretamente com os agricultores e distribui às famílias cadastradas. As ações de distribuição e compra dos alimentos são realizadas pela Semsa, em parceria com as secretarias municipais de Agricultura e Pesca (Semapa) e Assistência Social (Semcas). “O programa é um estímulo ao desenvolvimento da agricultura familiar por gerar emprego e renda às famílias e proporcionar o aumento da produção”, reiterou a coordenadora do PAA, Fernanda Buzar.

O desenvolvimento do conjunto de programas de distribuição de alimentos cumpre as diretrizes do Plano Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional e reforça o trabalho da Semsa na promoção da política, que foi resgatada desde o primeiro mandato do prefeito Edivaldo. “A Segurança Alimentar, como a conhecemos hoje, com tantos programas e ações, é uma marca do prefeito Edivaldo. Nos foi determinado priorizar essa política e estamos cumprindo o objetivo de levar à população mais saúde, qualidade de vida e segurança alimentar com sustentabilidade”, concluiu Fatima Ribeiro.

PEIXE E FEIJÃO NA MESA

Além do PAA, o programa Peixe Solidário tem atendido milhares de famílias com pescado fresquinho e de qualidade, contribuindo para uma alimentação mais saudável. “Esse programa tem impactado positivamente na saúde das pessoas e no combate à insegurança alimentar, conjuntamente aos demais programas deste segmento, desenvolvidos pela secretaria. É um compromisso da própria gestão a garantia do alimento seguro”, reitera o superintendente de Ações Comunitárias da Semsa, Augusto César Rodrigues Freire. Iniciado no ano passado, já foram distribuídos mais de 223 toneladas do produto a famílias carentes.

A aposentada Doralice Borges dos Santos Cunha, 76 anos, já tinha o destino do produto: a ceia de Sexta-Feira Santa para ela e mais cinco pessoas da família. “A gente já faz um almoço com esse peixe aqui e o dinheiro que ia comprar esse alimento, a gente já faz outra coisa. É muito bom o programa porque ajuda muito a gente que não tem dinheiro para certos gastos”, disse.

Na casa de Maria Francinete Amorim, de 70 anos, o peixe vai complementar a alimentação da semana cristã. Ela recebe o produto pela primeira vez e elogiou a qualidade. “É um peixe muito bom, que dá para fazer fritinho e já engrossa mais a refeição. Eu gostei desse programa que dá um alimento bom desses, que se fosse comprar, agora está bastante caro”, enfatizou a aposentada.

A cada etapa de entregas são priorizadas as famílias cadastradas no CADÚnico e no Bolsa Família, programas do Governo Federal. Em edição especial, devido às celebrações da Semana Santa, serão realizadas duas distribuições de pescado por semana, contemplando mais de 20 bairros. As entregas foram feitas até a última quinta-feira (13).

Tamires Baltazar Santos, 24, que também recebeu uma cesta, contou que mora na casa da mãe com mais cinco pessoas e que os alimentos vão garantir uma refeição mais nutritiva e saudável para a família. “Nem toda a vez a renda dá pra gente comprar todos os alimentos que precisamos, então essa é mais uma ajuda extra”, disse Tamires Baltazar, que também está grávida e espera o filho para o mês de maio.

Integrando também a lista de alimentos que são distribuídos à população está o feijão, adquirido junto à Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), do Governo Federal. O órgão deve publicar nos próximos dias Decreto dos estoques públicos do produto, que serão destinados às prefeituras via Conab, para doação às pessoas em vulnerabilidade social.

“Quando essa norma for divulgada, vamos pleitear o que cabe a São Luís para continuarmos o combate à fome de forma estruturada, com ações permanentes e respeitando o orçamento público”, diz Augusto Freire. Em 2016, a Semsa distribuiu mais de 222 toneladas do produto.

Deixar um comentário

HTML tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>